Esse blog é só a minha tentativa de ser Montaigne.
Só isso.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Rascunhos

-leitura na ideia do curso, ma não é A leitura do Nietzsche   
-Para nós é importante por agora pelo prognostico que ele faz da Europa.
-o filosofo é m medico da civilização.(para Nietzsche    )
-ele busca analisar o sentido e valores
-quem avalia  os valores.
-quais são os valores superiores para Nietzsche
-relaciona os valores a forma de existir.
-os valores devem ser relacionados a modo de vida. E o que o filosofo diz tem que ser fruto de uma arvore.
- oque ele diz  é fruto da vida dele.
-Quais são as minhas questões.
-ler idéias buscando a
ler não é questão teórica é de saúde
-a questão do amar os outros como a ti mesmo. As vezes voce ama mas a outra pessoa que a si mesmo.
-onde se origina os nossos valores de bem e mal.
- sob que condições inventou-se o homem aqueles juízos de valor, bom e mau? e que valor têm eles mesmos? Obstruíram ou favoreceram até agora o prosperar da humanidade? São um signo de estado de indigência, de empobrecimento, de degeneração da vida? Ou, inversamente, denuncia-se neles a plenitude, a força, a vontade de vida, seu ânimo, sua confiança, seu futuro? - Sobre isso encontrei e aventurei comigo mesmo muitas sortes de resposta, distingui tempos, povos, graus hierárquicos dos indivíduos, especializei meu problema, das respostas vieram novas perguntas, pesquisas, suposições, verossimilhanças: até que, por fim, eu tinha um país próprio, um solo próprio, um mundo inteiro crescendo calado, como que jardins secretos, dos quais ninguém poderia pressentir algo... Oh, como somos felizes, nós os que conhecemos, pressuposto somente que saibamos calar por tempo suficiente!...
-observar como a montagem do texto tem a ver com aquilo que a pessoa quer dizer.
-suspeita do valor da moral
- Tomava-se o valor desses "valores" como dado, como efetivo, como além de qualquer questionamento; até hoje não houve dúvida ou hesitação em atribuir ao "bom" valor mais elevado que ao "mau", mais elevado no sentido da promoção, utilidade, influência fecunda para o homem (não esquecendo o futuro do homem), E se o contrário fosse a verdade? E se no "bom" houvesse um sintoma regressivo, como um perigo, uma sedução, um veneno, um narcótico, mediante o qual o presente vivesse como que às expensas do futuro? Talvez de maneira mais cômoda, menos perigosa, mas também num estilo menor, mais baixo?... De modo que precisamente a moral seria culpada de que jamais se alcançasse o supremo brilho e potência do tipo homem? De modo que precisamente a moral seria o perigo entre os perigos?...
-o mais importante não é saber quem matou deus mas sim quem ocupou o lugar dele. Que continuou acreditando no amanha.
-A pergunta o que é quer dizer qual é a essência. O autor propondo a sustituiçao da pergunta o que é pelo Quem?  -esse Quem  quer dizer que tipo de força representa.
-quem é que enventou o conceito de bom.
-quem esta dizendo isso que Nietzsche esta dizendo. –Dionísio . como é essa criação de Dionísio nietzschiana.
-No nascimento da tragédia (ler) Dionísio se alia a Apolo.
-Dionísio  era um deus proveniente do oriente. Que surgia.
-todo momento de transe,  é festa dionisíaca.
-Dionísio representa o que é de mais feio na vida. Apolo representa o que é de mais belo.
-Dionísio é sobre tudo o que afirma o que há. É um deus que não possui se não. Dionísio é o deus da afirmação.
-esse mundo é insuficiente para o mundo das ideias.
-a moral é apresenta valores superiores da existência.
A moral apresenta a experiência de fora. Não pode existir valor superior a experiência.
-como posso saber o valor de uma coisa que não estou vendo
-um problema bem montado étudo.
-montar um problema
-tem que criar novos problemas fora dos problemas já expostos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário